Últimas Notícias

FM Gospel 103,7 é a primeira rádio evangélica a atingir a Região Carirí do Ceará

Postada PorAdriano Silva / domingo, 24 de agosto de 2014 | 00:02:00

A rádio gospel é hoje o maior projeto de evangelização no Sertão Nordestino.

Em 07 de Julho de 2011 Águas Inundaram o Sertão: Entrava no ar a Rádio GOSPEL 89,3 na Cidade de Ibicuitinga, a Primeira Rádio Evangélica do Interior do Ceará, Inundando todo o Sertão Central e Vale do Jaguaribe com a Mensagem do Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Agora o Cariri vai Virar Mar: dia 12 de Julho de 2014 entrou no Ar a Rádio GOSPEL 103,7 em Juazeiro do Norte, sendo também a Primeira Rádio Evangélica a atingir a Região do Cariri no Ceará, Paraíba e Pernambuco. A Palavra de Deus está sendo Anunciada 24 horas por dia, através das Letras das Canções e pela Pregação do Evangelho nessa que é a região de maior religiosidade do Brasil.

A Rádio 89,3 de Ibicuitinga é uma Concessão do Ministério das Comunicações através da portaria número 608 de 2006 e Decreto Legislativo número 254 de 2010 do Congresso Nacional. Já a Rádio 103,7 de Juazeiro do Norte é uma concessão do Ministério das Comunicações através da Portaria número 210 de 2011 e Decreto Legislativo do Congresso Nacional número 22 de 2014, Publicação no Diário Oficial da União, edição de nº 13, seção 1, página 3 do dia 20 de janeiro de 2014.

Fonte: http://www.fmgospel.com.br/ 

Trio armado realiza arrastão e rouba motocicletas em Choro

Postada PorAdriano Silva / quinta-feira, 21 de agosto de 2014 | 10:43:00

DSCN3514
Choró - Três homens, armados com revólveres, aterrorizaram moradores da localidade de Alegre, no distrito de Barbada, na zona rural de Choró, no Sertão Central. Segundo a Polícia, na manhã desta terça-feira, 19, o trio roubou duas motocicletas de moradores que transitavam por aquela localidade. Equipes da Polícia Militar foram acionadas a recuperaram duas motocicletas, uma delas sem placa e sem a roda traseiro. As motos recuperadas foram levadas para a Delegacia Regional da Polícia Civil, em Quixadá.

Todavia, segundo moradores do distrito de Barbada, os bandidos lograram êxito na investida criminosa. As motocicletas encontradas pela Polícia foram uma Honda CG 150 Titan, de cor preta, ano 2005, placa DNJ-5014 e uma Honda Titan vermelha, sem placa, chassi 9C2JC30707R149200, que estava sem a roda traseira. Os criminosos fugiram com motocicletas mais novas. Até a publicação desta edição as vítimas ainda não haviam registrado boletins de ocorrência com as características das motos roubadas. 
Sugestão de Reportagens: 88 9686 6694  Tim – 88 8837 9641 OI – 88 9233 8777 Claro. 
Sertão Alerta é o seu portal do Sertão Central. Inclua entre os seus links favoritos.

Mortes por HIV/AIDS aumentam 69% em 10 anos apesar dos remédios

estigmas da dor
Solimar diz que sua esperança é voltar conviver com os filhos
FOTOS ALEX COSTA
f
Lucilene recebe os medicamentos que compõem o coquetel de seu tratamento: "todo mês veio de Tauá para o Hospital São José, aqui eu sou bem tratada. Tenho esperança de um dia volta r a ser feliz", declara emocionada
No princípio, era o fim. Quem recebia um diagnóstico positivo para o HIV não pensava mais em vida e sim em morte. Relata a enfermeira, Maria Juliana (nome fictício), ao lembrar o filho, Pedro, vítima da Aids nos anos 80. Com medo de preconceito, ela pediu para não ser identificada. "Apenas quero contribuir para alertar sobre essa epidemia que ainda leva muita gente para o isolamento social, que é o corredor do cemitério e à morte como certeza, deixando mães como eu, chorando a ida dos seus não pela doença, como também pelo forte estigma", emociona-se.
Maria afirma que ainda hoje o preconceito e a desinformação sobre o vírus e a doença levam à depressão e a exclusão das pessoas que tomam o coquetel e lutam para continuarem vivas. "Os números de casos e mortes são muito altos ainda", aponta.
E são mesmo. De acordo com os dados da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o Estado contabiliza 13,2 mil casos entre 1985 e 2013. Nesses 28 anos, foram 3,6 mil mortes. Uma média de 200 mortes anuais. E, pior. Nos últimos dez anos, entre 2003 e 2013, houve um aumento nos casos de óbitos de 69,9%. O total saltou de 204 para 346 no ano passado, sendo 234 homens e 122 mulheres.
 
Lucilene Francisco Mendes completou recentemente 25 anos de idade. Aos 18 já era viúva. Perdeu o marido para a Aids. Seis meses depois de casar, ele teve a confirmação da doença. Já era tarde para ela, também foi contaminada sem nem ter chances de prevenção. "Fui criada dentro da igreja, não sabia nada da vida. Romildo foi meu primeiro e único homem. Ele chegou, me viu, falou com minha família e eu tive que casar. Depois soube que era ex-detento", relata.
Natural de Tauá, Lucilene busca força na religião. Desde que teve o diagnóstico positivo do HIV, há sete anos, procurou ajuda no Hospital São José, onde o marido faleceu, em 2010. Todo mês vai buscar os medicamentos enfrentando um longo caminho. "Saio de Tauá no ônibus das 22 horas, chego aqui quatro da manhã, fico na rodoviária até às 6 horas e vou para o São José, onde pego os remédios e volto para a rodoviária. Não tenho saída. É o meu destino, tenho que cumprir. Sei que cura não existe ainda, os remédios são só para adiar a morte. Mais tenho esperança, essa é a única que nunca vai fugir de mim", diz, chorando.
Referência
O hospital São José é o principal centro de referência do Ceará no tratamento doenças infecciosas. Dos 120 leitos para pacientes, 60 estão ocupados pelos portadores do HIV/Aids. De acordo com a coordenadora do ambulatório do HSJ, Valéria Mesquita, atualmente, nove mil soropositivos são acompanhados e recebem medicamentos regularmente pela instituição médica. "Em junho passado, outras 564 pessoas fizeram consultas aqui", informa.
O diretor do HSJ, Roberto da Justa, diz que o hospital está sempre se reinventado. "A demanda é crescente. É preciso repensar esse modelo de atendimento", diz, acrescentando que é necessário ampliar o número de os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), voltados para prevenção e diagnóstico, e os Serviços de Assistência Especializada em DST/aids (SAEs), que oferecem também tratamento.
Para o ex-motorista de caminhão, Solimar Pereira de Freitas, de 43 anos, manter o tratamento é uma verdadeira via-crúcis. "Perdi o emprego e já passei um mês internado, perdi 20 quilos. Agora, melhorei, mas terei que mudar para a Parnaíba. Vou vê como ficará meu acompanhamento e os remédios".
Ciência
Joana Siqueira já perdeu um irmão, marido e filho para a Aids. Hoje, ela também toma o coquetel e tenta levar uma vida normal. Ela lembra que, nos anos 80 e 90, quando o irmão foi um dos primeiros pacientes no Brasil, o medo de contrair a doença chegava à beira do pânico. "Quando a ciência comprovou que não se pegava Aids com um simples aperto de mão ou era uma doença apenas dos gays ou devassos, tive um certo alívio. Era importante entender que a fúria da doença e da maneira como afetou milhares de vidas, incluindo pacientes e familiares não escolhia sexo, religião, classe social ou idade", desabafa.
A inserção e a permanência no mercado de trabalho é hoje uma das maiores preocupações dos jovens vivendo com HIV/Aids, aponta a Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids (RNP). Entre as histórias de luta, a de Antônio Marcos Alcântara.
Ele conta que "vacilou" quando aos 21 anos fez sexo sem preservativo várias vezes e muitas parceiras. "Fiquei preocupado e resolvi fazer um teste rápido e não deu outra, deu positivo para o HIV", conta. Ele descobriu cedo e começou a fazer o tratamento. No entanto não foi assim tão tranquilo. Teve que se afastar por um tempo do trabalho por uma depressão braba. "Foi tudo junto, o diagnóstico, cair em mim pela besteira que fiz, a preocupação com a família, da solidão, de ser visto como um perigo para a sociedade. Foi duro. Ninguém quer ficar doente, imagina de um mal que ainda não tem cura, só controle", comenta.
Banalização
Na opinião do pesquisador Eufrázio Oliveira, um dos desafios da área de saúde e especialistas do HIV/Aids é com relação à banalização da doença. Para ele, a medida em que a doença passou a ser vista como outra qualquer e que, apesar de não ter cura, é possível controlá-la com os retrovirais. "A minha preocupação está aí, muita gente pena que não há problemas em ter relações sexuais sem camisinha, que contrair o vírus não terá impacto nenhuma na sua vida. Não podemos pensar em qualquer doença como "normal". Penso que talvez estejamos enfrentando uma nova epidemia do HIV/Aids. Não podemos deixar que isso aconteça pelo simples fato de acreditar que o mal está desaparecendo entre nós", alerta.
O vírus da Aids ainda é um grande desafio a ser enfrentado, reconhece a coordenação estadual da DST/Aids, da Sesa. O número de casos diminuiu 22% entre 2012 e 2014, entretanto, aponta que contra o vírus não se pode baixar a guarda.
FIQUE POR DENTRO
Primeiros casos ocorreram na década de 80
A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) foi reconhecida em meados de 1981, nos EUA, a partir da identificação de um número elevado de pacientes do sexo masculino, moradores de São Francisco ou Nova York, que apresentavam comprometimento do sistema imune.
Em 1986, foi aprovada pelo órgão norte-americano de controle sobre produtos farmacêuticos Food and Drug Administration (FDA), a primeira droga antiviral, a azidotimidina ou AZT. Este revelou um impacto discreto sobre a mortalidade geral de pacientes infectados pelo HIV.
Em 1994, um novo grupo de drogas para o tratamento da infecção passou a ser estudado, os inibidores da protease. Estas drogas demonstraram potente efeito antiviral isoladamente ou em associação com drogas do grupo do AZT (daí a denominação coquetel). Mesmo em tratamento, a pessoa com Aids pode e deve levar uma vida normal, sem abandonar a sua vida afetiva e social. Ela deve trabalhar, namorar, transar (com camisinha), se divertir e fazer amigos.
Lêda Gonçalves
Repórter
Fonte: Diário do Nordeste

Marina é lançada candidata, dá sinais ao mercado e amplia poderes no PSB

Nos bastidores, ex-ministra do meio Ambiente garante maior influência na coordenação da campanha e na arrecadação

Marina é lançada candidata, dá sinais ao mercado e amplia poderes no PSB
"Marina Silva é candidata pelo PSB"
A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva foi oficializada nesta quarta-feira como candidata do PSB à Presidência da República. Nos bastidores, ampliou seu poder sobre a campanha - terá mais controle, por exemplo, sobre o caixa do comitê. Em público, deu sinais ao mercado a fim de afastar temores de que uma eventual vitória sua seja uma aventura, principalmente na área econômica.

Marina defendeu o tripé econômico de metas de inflação, câmbio flutuante e responsabilidade fiscal. Segundo ela, desde 2010 essa é sua posição. Também se disse favorável à autonomia do Banco Central e lembrou que Eduardo Campos, morto na semana passada em um acidente aéreo, advogava que essa autonomia deveria ser formal. Ela disse que o tema - se a autonomia precisaria ser formal ou não - está em discussão pela equipe do programa de governo e que sua decisão virá após posicionamento dessa área. “A autonomia do BC nunca foi um problema entre nós.”

O acordo interno do PSB foi costurado numa longa reunião realizada quarta-feira na Fundação João Mangabeira, em Brasília. De um lado, os integrantes do partido. Do outro, a Rede, grupo de Marina que se alojou no PSB no fim do ano passado após a Justiça Eleitoral barrar sua existência como legenda por falta de assinaturas válidas.

No acerto, a coordenação financeira da campanha foi alterada. O coordenador da Rede, Bazileu Margarido, vai comandar o caixa ao lado de Dalvino Franca, do PSB. No lugar de Bazileu, que integrava a chefia executiva da campanha, assume o ex-deputado federal e porta-voz da Rede, Walter Feldman. Com isso, Marina coloca pessoas de seu grupo em áreas-chave da campanha.

Outra exigência foi sobre os palanques estaduais. Marina aceitou apenas fazer campanha para os partidos da coligação integrada por PSB, PPS, PHS, PRP e PPL. Afastou, portanto, sua presença em palanques articulados por Campos com os tucanos Geraldo Alckmin, candidato em São Paulo, e Beto Richa, candidato no Paraná. Também incluiu na lista de políticos com quem não fará campanha o tucano Paulo Bauer, candidato em Santa Catarina, e o petista Lindbergh Farias, candidato no Rio.

O objetivo de Marina é manter em pé o discurso de “nova política” que adotou desde que iniciou a tentativa de criar a Rede.
Nesses locais, o PSB poderá fazer campanha conjunta, mas sem a presença de Marina. Os candidatos a deputado, porém, poderão utilizar sua imagem e fazer campanha para ela.

O governador de Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), disse não haver desconforto no partido com essa opção. “Ela poderá não ir em um ou outro palanque, mas o partido estará presente.”

Um primeiro ato de campanha de Marina deverá ocorrer no próximo sábado no Recife, terra de Campos. O programa eleitoral de rádio e TV do PSB que vai ao ar hoje vai mostrar cenas do evento de lançamento da candidata realizado na quarta-feira à noite.

Consistência. O vice de Marina, o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque, também foi confirmado no evento em Brasília, realizado na sede nacional do partido, na Asa Norte. O principal desafio da dupla agora é manter a consistência da aliança, a boa pontuação nas pesquisas - ela já aparece em segundo lugar, com cerca de 20% dos votos.

O discurso voltado ao mercado foi o primeiro passo da estratégia. Mesmo emocionada ao falar de Campos e lembrar dos dez meses que passou ao seu lado como candidata a vice, fez questão de assumir o discurso do antecessor no posto.

Repetiu, por exemplo, o mantra do ex-governador sobre a política energética do governo Dilma Rousseff. “É lamentável que o Brasil tenha, desde 2002, a ameaça do apagão. E digo lamentável, porque temos há 12 anos uma mesma pessoa à frente da política energética do nosso país, inicialmente como ministra de Minas e Energia, depois da Casa Civil e, agora, como presidente”, afirmou. “Essa política energética está custando caro ao povo brasileiro.”

Marina considerou que o uso de usinas termelétricas para compensar a baixa dos reservatórios de hidrelétricas em períodos de seca, adotado atualmente, deve ser acionado para “eventualidades extremas” e não como componente fixo do grid energético, como é feito há cerca de um ano. “Infelizmente, estamos sujando a matriz energética brasileira. Os arremedos que estão sendo feitos com as térmicas para os momentos de baixa dos reservatórios têm de ser reduzidos.”
Apesar da crítica, ela reconheceu que é difícil substituir neste momento as térmicas - que produzem uma energia suja, que polui o ar - e que, caso eleita, vai “recorrer às fontes que já existem para fazer a complementação” representada pela baixa na produção das hidrelétricas.

Como ministra do Meio Ambiente do governo Luiz Inácio Lula da Silva, Marina foi crítica também das hidrelétricas, em razão de seus impactos ambientais. Ela teve embates com Dilma, também integrante do governo, principalmente por causa da construção da usina de Belo Monte.

Código Florestal. A ex-ministra afirmou ainda que o Código Florestal, aprovado em 2012, precisa ser cumprido, a exemplo da exigência do Cadastro Ambiental Rural (CAR), porque é uma norma legal. “Infelizmente, isso não está sendo feito com a urgência e com a velocidade que precisamos”, disse. Durante a tramitação da proposta do novo Código, o grupo de Marina criticou a proposta.

Por esses e outros motivos, a principal resistência à candidatura da ex-ministra está no agronegócio.

Fonte: Estadão

Ônibus invade pátio do Templo de Salomão após bater em carro

Postada PorAdriano Silva / terça-feira, 19 de agosto de 2014 | 12:45:00

O motorista do carro ficou em estado grave e foi socorrido; outras duas pessoas também ficaram feridas

Vinícius Gonçalves/Futura Press
Ônibus para a cerca de cinco metros da escadaria principal do Templo de Salomão
Um ônibus invadiu o pátio do Templo de Salomão, no Brás, região central de São Paulo, por volta das 3h40 desta terça-feira (19) após bater em um carro. Três pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave. Elas foram socorridas. 
Segundo a Polícia Militar, o ônibus trafegava pela Celso Garcia, quando se chocou com um carro prata que seguia pela rua José Monteiro. Com o impacto, o ônibus avançou em direção às grades e parou a cerca de cinco metros da escadaria do templo. Ainda de acordo com a PM, quatro metros da grade ficaram quebradas.
O motorista do carro ficou em estado grave e foi levado a um hospital da região. Não há informação sobre o estado de saúde das duas outras vítimas. A PM também não informou se elas estavam no ônibus ou foram atropeladas. 
De acordo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), O corredor de ônibus sentido centro estava bloqueado próximo a rua João Boemer, por volta das 8h desta terça-feira. A faixa reversível estava montada entre as ruas Júlio Cesar e João Boemer.
O Templo de Salomão foi inaugurado no dia 31 de julho deste ano. A inauguração contou com as presenças da presidente Dilma Rousseff (PT), do governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), e do prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad (PT). 
O mega templo, que pertence a Igreja Universal do Reino de Deus, tem 100 mil metros quadrados de área construída, comporta 10 mil pessoas sentadas, demorou quatro anos para ficar pronto e custou R$ 685 milhões. 
Fonte: Último Segundo IG

Dunga faz sua primeira convocação após o retorno à seleção brasileira

Seleção vai enfrentar a Colômbia, no dia 5 de setembro, em Miami, e o Equador, no dia 9, em Nova Jersey

Por 

O técnico Dunga anunciou nesta terça-feira, na sede da CBF, no Rio de Janeiro, a sua primeira lista de convocados da seleção brasileira. O time canarinho vai enfrentar a Colômbia, no dia 5 de setembro, em Miami, e o Equador, no dia 9, em Nova Jersey.
Os jogadores da seleção brasileira se apresentam nos Estados Unidos na segunda-feira, dia primeiro de agosto. Dunga comandará três atividades em solo americano antes do duelo contra a Colômbia, no dia 5. A delegação seguirá em Miami até o dia 7, quando viajará para Nova Jersey. No dia 9, o rival será o Equador, no MetLife Stadium.
Os dois primeiros compromissos da seleção brasileira serão transmitidos pela TV Globo, Sportv e GloboEsporte.com. O site também acompanha as duas partidas em Tempo Real.
Confira a lista completa:
Goleiros:Jefferson (Botafogo) e Rafael Cabral (Napoli).
Zagueiros:David Luiz(Chelsea), Marquinhos (Chelsea), Gil (Corinthians) e Miranda (Atlético de Madrid).
Laterais: Maicon (Roma), Filipe Luis (Chelsea), Alex Sandro (Porto) e Danilo (Porto).
Meio-campistas: Luiz Gustavo (Wolfsburg), Elias (Corinthians), Fernandinho (Manchester City), Ramires (Chelsea), Everton Ribeiro (Cruzeiro) e Oscar (Chelsea).
Atacantes: Hulk (Zenit), Ricardo Goulart (Cruzeiro), Willian (Chelsea), Neymar (Barcelona), Philippe Coutinho (Liverpool) e Diego Tardelli (Atlético-MG)
.
Fonte: Globo Esporte

Dilma Rousseff candidata à reeleição pelo PT concede entrevista ao Jornal Nacional

Postada PorAdriano Silva / segunda-feira, 18 de agosto de 2014 | 21:43:00

Candidata à reeleição pelo PT deu entrevista ao vivo no Jornal Nacional.
Presidente foi questionada sobre escândalos de corrupção no governo.

Do G1, em Brasília









A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, afirmou nesta segunda-feira (18), em entrevista ao Jornal Nacional, que os governos dela e do antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva prepararam o país para um novo ciclo de crescimento e para consolidar a classe média. Ela também foi indagada sobre sucessivos escândalos de corrupção na administração federal e afirmou que o governo dela foi o que mais se estruturou para combater o problema.
"Criamos as condições para o país dar um salto colocando a educação no centro de tudo. E isso significa que nós queremos continuar a ser um país de classe média, cada vez maior a participação da classe média. Mais oportunidades para todos", declarou sobre a expansão do segmento.
Sobre corrupção, disse que o procurador-geral da República não foi chamado durante os governos do PT de "engavetador-geral da República".
Segundo ela, nem todas as pessoas denunciadas nos escândalos foram punidas pelo Judiciário porque nem todas as denúncias apresentadas na mídia foram comprovadas.
Questionada sobre a substituição de denunciados por pessoas dos mesmos partidos envolvidos nos escândalos, afirmou que os partidos podem fazer exigências, "mas eu só aceito quando são pessoas íntegras e competentes na área".
PT
O jornalista William Bonner perguntou a Dilma se ela não foi "condescendente" com a corrupção já que o PT é um partido com "um grupo de pessoas comprovadamente corruptas, mas que são tratados como guerreiros, como vítimas". Ele se referia ao julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal, que condenou e levou à prisão dirigentes do partido.
"Eu sou presidente . Eu não faço nenhuma observação sobre julgamentos realizados pelo Supremo Tribunal. A Constituição exige do presidente da República que nós respeitemos e consideremos a autonomia dos outros órgãos. Eu não julgo as ações do  Supremo. Eu tenho opiniões pessoais. Durante o processo inteiro não manifestei nenhuma opinião. Não vou tomar nenhuma posição que me coloque em confronto, em conflito, aceitando ou não. Eu respeito as decisões da Suprema Corte brasileira", declarou.
Saúde
Na entrevista, Dilma foi indagada por Patrícia Poeta se considerava a situação da saúde "minimamente razoável", por causa das filas em hospitais, do atendimento em macas, e de exames não realizados.
Ela respondeu que "não" e admitiu que "tivemos e ainda temos muitos problemas e desafios a enfrentar na saúde".
Antes, porém, chamou a atenção para o programa Mais Médicos, dizendo que o governo teve uma "atitude corajosa" ante a necessidade de 14 mil profissionais para atender à população. Disse que chamou primeiro médicos brasileiros para contratação, mas que não foram suficientes para a demanda. Depois, médicos brasileiros e estrangeiros formados no exterior, que também não cobriram a necessidade.
"Na sequência, chamamos médicos cubanos, através da Opas [Organização Pan-americana de Saúde], e aí conseguimos chegar a 14.462 médicos, que, pelos dados da OMS [Organização Mundial de Saúde], correpondem a uma capacidade de atendimento de 50 milhões de brasileiros. 50 milhões de brasileiros não tinham atendimento médico. Hoje têm", declarou.
Economia
Em outro momento da entrevista, Dilma foi questionada se achava justo culpar o pessimismo ou a crise internacional por números negativos na economia e se o governo não tinha responsabilidade pelos resultados.
"Nós enfrentamos a crise, pela primeira vez no Brasil, não desempregando, não arrochando salários, não aumentando tributos – pelo contrário, diminuimos, reduzimos e desoneramos a folha, reduzimos a incidência de tributos sobre a cesta básica. Nós enfrentamos a crise também sem demitir", respondeu a petista.
Dilma apontou para uma "melhoria prevista no segundo semestre" ao ser confrontada com os recentes indicadores negativos da economia.
Ela se referiu ao que chamou de "índices antecedentes", que antecipam tendências da economia. "A quantidade de papelão que é comprada, a quantidade de energia que é consumida, a quantidade de carros que são vendidos, todos esses índices indicam uma recuperação no segundo semestre, vis a vis, o primeiro", afirmou a presidente.
Fonte: G1

Número de mortos palestinos em Gaza sobe para mais de 2 mil

Outras 10.196 ficaram feridas durante a ofensiva israelense que já dura um mês

Agência Brasil
foto: ALI ALI/Lusa/ABrNúmero de mortos palestinos em Gaza sobe para mais de 2 mil
Número de mortos palestinos em Gaza sobe para mais de 2 mil
GAZA - O número de mortos no recente conflito Israel-Palestina já provocou mais de 2 mil mortos na Faixa de Gaza, informou nesta segunda-feira (18) o Ministério da Saúde, acrescentando que mais feridos nos ataques israelenses acabaram morrendo.
De acordo com a nota, um total de 2.016 pessoas morreram e mais 10.196 ficaram feridas durante a ofensiva israelense a Gaza, há mais de um mês. Entre os mortos estão 541 crianças, 250 mulheres e 95 homens idosos.
O número de mortos, que estava fixado em 1.980, subiu depois de várias pessoas feridas no conflito terem morrido em hospitais de Gaza, no Cairo e em Jerusalém, locais para onde foram levadas para receber tratamento médico.
Os médicos também encontraram um cadáver nos escombros do distrito de Shejaiya, no leste da cidade de Gaza, que estava no local há mais de três semanas, segundo o comunicado.
Hoje, do outro lado do conflito, o Exército de Israel confirmou que cinco dos 64 soldados abatidos em combate morreram como resultado de "fogo amigo".
Desde que começaram as hostilidades, em 8 de julho, o governo israelense assegura que o objetivo do Exército é destruir as plataformas de lançamento de rockets e os túneis escavados pelas milícias palestinas entre Gaza e o território de Israel.
Nas últimas semanas, as duas partes acertaram duas tréguas humanitárias de 72 horas, renovadas na quinta-feira (15) por mais cinco dias, para continuar as negociações sobre os termos de um acordo que ponha fim à ofensiva militar.
Fonte: DCI
 
Copyright © 2014 Ibicidade - Direitos Reservados